Um cartum para o Comendador… com trilha sonora de Rosa Passos

Este desenho foi publicado no Globo, na seção A Arte de Zoar. Tenho certeza de que o Paulinho ia gostar de ver isso…

Leonard P _Tóquio_x webE por falar em Rosa Passos, vamos ouvir mais umas faixas do seu CD Festa, produzido pelo Paulinho Albuquerque em 1993…A primeira é Dunas, de Rosa Passos e Fernando de Oliveira, com ela na voz e no violão. E mais : Itamar Assiere / piano, Lula Galvão / violão, Jorge Helder / contrabaixo, Erivelton Silva / bateria e Gilson Peranzzetta / teclados…Clica aí e som na caixa…

E a outra faixa é Juras, de Rosa Passos e Fernando de Oliveira, com ela na voz e no violão…E mais: Lula Galvão / guitarra, Jorge Helder / contrabaixo, Gilson Peranzzetta / acordeon, Pirulito e Ovídio Brito / percussão…

 

 

 

Anúncios

No estúdio com Paulinho Albuquerque

Lula Galvão
Das muitas gravações que fiz com o Paulinho, duas me fazem sempre lembrar dele. Candeias do Edu Lobo, que está no disco Festa da Rosa Passos, cujo o arranjo é meu e ele, Paulinho, com toda razão, achou a intro “grande pra caralho, vamo cortar um pedaço…”. Mas depois de gravado o arranjo, ele bancou a intro que, na verdade, era uma introdução típica de um forasteiro recém chegado querendo mostrar serviço.
A outra é Nó na Garganta, do Guinga que está no CD Cheio de Dedos. O Paulinho sugeriu que eu fizesse a melodia. Fui aprender na hora, pois não conhecia a música, e quando chegou aos três minutos de aprendizagem, com o próprio Guinga me ensinando, porque ele não escreve música, ouço aquela voz do Paulinho no meu fone: “Ô Lula, esse disco é pra sair agora, em três semanas!”. Parece brincadeira mas, antes dessa gravação, houve uma sessão de três horas de histórias e anedotas…
…………………………………………………………………………….
E aqui quem fala é o DJ Reinaldo… Você vai ouvir agora as músicas que o Lula acaba de lembrar aí : primeiro, a sensacional gravação de CANDEIAS, de Edu Lobo, com Rosa Passos, Itamar Assiere (piano), Jorge Helder (baixo elétrico), Erivelton Silva (bateria), Paulo Guimarães (flauta em sol), Idriss Boudrioua (sax alto) e Lula Galvão (violão e arranjo).
E nesse video, o NÓ NA GARGANTA, com os violões de Lula Galvão e Guinga.

Ivan Lessa e o Comendador

Reinaldo

Ivan Lessa, que era um dos escritores favoritos da turma do Casseta & Planeta, morreu na sexta-feira, 8 de junho, em Londres, onde morava desde 1978. Ele era uma enciclopédia viva, uma espécie de Google falante, principalmente quando o assunto era música popular, brasileira e americana…

Como eu sabia que ele tinha insônia, mandei o link do blog do Comendador, para ele preencher sua horas vagas noturnas. Encaminho aqui para os membros da AMAPALBUCA o último e-mail que recebi do Ivan…

Oi, Reinaldo. Tenho insônia mesmo. Só que bate no meio da noite, depois de 10mg de diazepam. Mas o negócio é agradecer a remessa do blog. Boa. Cara bacana. Estivesse eu aí nos anos – o que? – 60 ou mesmo 70 gostaria de, conforme se dizia, tomar umas e outras com o cara e papear sobre música popular. Estou limpando minha caixa de cartas das duas contas que hoje tiveram a desfaçatez de se chamar minha correspondência. Depois, aos braços de Orfeu da Bezerra da Costa. Cordiais saudações, grato, abraços. Ivan

E como trilha sonora deste post, ouçam aí Feitiço da Vila, na voz de Rosa Passos (do CD Festa, produzido pelo Paulinho Albuquerque em 1993). O motivo desse link com Feitiço da Vila, de Noel Rosa, é um texto do Ivan Lessa que está no site oficial do Casseta & Planeta. É um trecho de um romance inacabado, no qual Noel Rosa é um dos personagens principais. E o Feitiço da Vila lá também é trilha sonora…

O ronco e um diálogo albuquerqueano

Itamar Assiere

Itamar Assiere, pianista, arranjador e ouvinte privilegiado do ronco do Comendador.

As minhas histórias do Paulinho podem começar pelo ronco dele, que foi o mais alto que já ouvi na vida! Difícil achar outro igual!

Quando toquei no show do Casseta & Planeta  em Vitória, a produção me botou pra dividir o quarto com ele. Eu não me lembro de ter conseguido dormir. Mas lembro bem da minha tentativa desesperada de dormir: pra tentar competir com o ronco, eu liguei a televisão fora do ar no último volume, pra ver se o barulho dela se misturava com o ronco e aí eu abstraía. Claro que não deu certo… Isso se chama desespero!

Devo muito ao Paulinho, que foi de uma generosidade descomunal comigo. Eu conheci ele num show do Cláudio Nucci,  no Rio Jazz Club. Ele foi lá pra falar comigo sobre o grupo Batacotô. O Sizão Machado tinha acabado de me chamar e ele foi lá me ver tocar e marcar uma reunião pra conversar sobre a banda.

Em 93, ele me perguntou se eu fazia arranjo. Eu disse que sim, e ele me deu dois arranjos para a Fátima Guedes. Ele nem quis conferir se eu fazia arranjo direito, só acreditou na minha palavra e na sua intuição. E depois ainda me chamou pra gravar o CD da Rosa Passos!

Uma vez eu estava em Goiânia, com a Bibi Ferreira. Lembrei que  Bororó, o baixista, tinha se mudado pra lá, e liguei pro Paulinho pra pedir o telefone dele. E o papo foi assim:

– Oi, Paulinho, aqui é o Itamar.

– Fala! E aí?

– Seguinte: tô aqui em Goiânia e preciso…

– Ué! Foda-se!… “Ah… tô aqui em Goiânia”… Foda-se!

– Tá, tá legal, você tem razão… eu só queria o telefone do Bororó…

Mais tarde ele me ligou passando o telefone do Bororó, e ainda detonou o colega, que tinha deixado furo num show do Cláudio Jorge que ele estava dirigindo… Puro humor albuquerqueano!

Com vocês, Rosa Passos

Aqui quem fala é o DJ Reinaldo e você vai ouvir agora uma faixa do disco que o Itamar Assiere lembrou lá no post dele…

O CD Festa, de Rosa Passos, produzido pelo Paulinho em 1993. A música é Paris : de Santos Dumont aos Travestis, de Aldir Blanc e Moacyr Luz.

No piano, Itamar Assiere, no violão Lula Galvão, no baixo Jorge Helder, na bateria Erivelton Silva e Ovidio Brito no pandeiro e no ganzá…Clica aí e sente o balanço…