Sempre fazendo o meio de campo…

Andrea Ernest Dias

O Paulinho fazia um meio de campo muito bom entre turmas e gerações. Eu também só tenho excelentes lembranças dele… No tempo da Orquestra de Música Brasileira do Roberto Gnattali, em que a gente se apresentava fantasiado (eu de índia), com Paulinho, o Roberto e o Maurício Lissovski delirando nos roteiros bossanovísticos, em homenagem ao Vinícius… Depois os frijézis, o festival de Nova Orleans, ele apresentando cajun food pra mim e pro Suzano, o lançamento de Ouro Negro, os chamados telefônicos para gravar, sempre com pouca grana, né? Mas era ele, como negar? Os projetos eram sempre bons: Guinga, Rosa Passos, Leandro Braga! Enfim, um entusiasmo que faz muita falta mesmo. Pô, Paulinho, essa de ir tão cedo deixou a gente triste por aqui. Mas, agradeço à vida ter te conhecido. Beijo grande, onde estiver.