Explicações necessárias

Palbuca era um endereço de e-mail que virou apelido. Comendador Albuquerque era o seu alter-ego na secretária eletrônica (ouçam a mensagem do mordomo Antunes) e Paulinho Albuquerque era o produtor, diretor, iluminador, agitador, enfim, um cara que esteve por trás de muita coisa boa na música brasileira : shows e discos com Djavan, Ivan Lins, João Bosco, Aldir Blanc, Guinga, Nei Lopes, Leny Andrade, Leila Pinheiro, Rosa Passos, Hamilton de Holanda, o Free Jazz Festival e até o Casseta & Planeta… (é muita gente, vejam a lista completa no menu, em “shows” e “discos”). Paulinho Albuquerque morreu em 26 de junho de 2006, nove dias depois do Bussunda.

* PARA DEIXAR UM COMENTÁRIO É SÓ CLICAR NO BALÃOZINHO À DIREITA DE CADA POST.

Anúncios

3 respostas em “Explicações necessárias

  1. Paulinho Albuquerque, Mauro Senise e Zeca Assunção eram meus vizinhos no Jardim Botânico .E de repente Paulinho se mudou pro Astral Superior,deixando todo mundo com cara de cachorro em dia de mudança.Grande figura e mega talento ! Quem sabe não tá rolando show na nova casa com ele, Nico Assunção, Marcio Montarroyos, Oberdan Magalhães,Robson Jorge ,Rafael Rabello e, por que não , Miles Davis, Charles Mingus, Art Blakey,Dannie Richmond,Don Alias, dentre outros. Luz pra todos ! Muito legal esse blog , Reinaldo , parabéns !

  2. Ano 1984. Era uma festa para formalizar – muito informalmente -nosso casamento (meu com Claudio Torres Gonzaga, hoje humorista ex-marido). De repente nos veio a ideia de termos um juiz e convidamos o Paulinho (na época ele namorava minha irmã Ignez) e ele topou. Levamos um ferro de passar roupa, o Paulinho disse palavras sérias, todos assinaram um papel em branco que foi por ele passado a ferro. No final ele declarou: “Agora vocês já estão casados de papel passado”. Alguns amigos nos pediram depois o telefone desse juiz, porque queriam que ele oficiasse os seus casamentos. Assim o Paulinho (que era advogado) teve seu dia de magistrado e nós a honra de tê-lo na nossa história para sempre.

  3. Paulinho foi… e é, um amigo inesquecível e o meu Guru Musical e profissional ! Ele não gostava quando eu falava isso ,principamente se estivessemos com outras pessoas…mas no fundo sentia que orgulhava-se um pouco. Como produtor no Jazzmania pude ser seu jovem assistente e tive o previlégio de ve-lo na produção de muitos shows, Dorival Caymmy e familia, João Bosco e Nico Assumpção, Ivan Lins, Basnda Zil, o primeiro show do Casseta e também acompanhava o seu o incansavel trabalho no Free Jazz Festival, sempre com o Zuza e Zé Nogueira. E hoje posso vê-lo dando esporro na Leny Andrade porque ela não havia ainda tirado “Chico Hipocondria” do repertorio…e ela ouvir quieta…e NUNCA mais cantar a musica !!! Tardes memoraveis no Jardim Botanico ouvindo Kenny Rankin e conhecendo as novidades e a tradição do melhor do jazz !!! Um baita professor. Além das inúúúúmeras piadas infames e inteligentes Tenho muitas saudades, mas posso senti-lo conosco ! Uma benção ! Paulo Renato Rocha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s